Malditas sejam essas essências
Benditos sejam esses espinhos
Que sozinhos eles te cortem
para que juntos te acordem
e te lembrem que a luz
só existe porque
a sua ausência lhe traduz